quinta-feira, 6 de abril de 2017

Assembleias de Deus, Império em Ruínas ?




Mc 03.24 E, se um reino se dividir contra si mesmo
tal reino não pode subsistir;


QUEM FOMOS  As Assembleias de Deus Brasileiras já foram consideradas -  devem ser ainda, o maior movimento Pentecostal do mundo. Fundada em 1910 pelos missionários suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren, que brava e brilhantemente enfrentaram todo tipo de adversidades à época, assim como os primeiros líderes por eles formados, entretanto, com o passar dos anos e a solidificação da obra, uma outra geração de obreiros, aos poucos foi aderindo a outros caminhos e conceitos, segundarizando o plano inicial, perdendo a essência, distanciando-se dos propósitos com os quais seus idealizadores sonharam, e em consequência dessas mudanças, fomos sendo reduzidos a essa imensa "COLCHA DE RETALHOS" que  nos TRANSFORMAMOS, infelizmente. 

Considerando que Deus não trabalha com a nossa visão – de quantidade em primeiro plano, crescemos em números, sim, e nos encolhemos em qualidade, deixando de ser o que éramos, esquecendo o primeiro amor, abdicando de tudo que nos norteou à base da palavra, a prática das boas obras, deixando para trás o remanescente e todos que esses valores defendiam e defendem. Fizemos uma descida vertiginosa, uma escalada ladeira abaixo sutil e lentamente, num sombrio processo ininterrupto, cruel e devastador, construindo assim uma nova identidade, nada igual ao que já fomos.



A bem da verdade, e sem a intenção de desvalorizar o trabalho dos nossos pioneiros, é bom ressaltar que o primeiro rompimento, racha ou divisão de nossa história, foi protagonizado por eles, quando saíram da igreja à qual pertenciam – eram Batistas até então, para fundar a Missão de Fé Apostólica, que viria a se transformar em seguida, nas Assembleias de Deus no Brasil, porque segundo eles, os Batistas que inclusive os hospedaram quando ao Brasil chegaram, os expulsaram posteriormente, por divergências doutrinárias. Portanto, querendo ou não, admitamos que em nosso inicio, ROMPEMOS, NOS DIVIDIMOS DA IGREJA BATISTAFonte (Wikipédia a Enciclopédia Livre).

Então, é razoável afirmar que todo Assembleiano brasileiro, tem origem Batista. Constatei isto no Centenário das Assembleias de Deus em Belém-Pará, em 2011, numa reunião matinal no Centro de Convenções da igreja mãe, quando o Pastor Samuel Câmara, em nome da igreja de Belém, PEDIU PERDÃO AOS NOSSOS IRMÃOS BATISTAS, pela equivocada informação contida em todos os livros CPADANOS que contam a nossa história, e afirmam que OS BATISTAS NOS EXPULSARAM DE CASA no início. 

Havia ali um representante da Convenção Batista Brasileira, que confirmou essa versão, a sua decepção por eles serem rechaçados por uma erro que nunca cometeram, aceitando plenamente o pedido de perdão de nossa igreja. Isto nunca foi noticiado em nenhum periódico da Casa Publicadora das Assembleias de Deus, nem antes, nem depois do centenário.

Quando falamos em abrir brechas a ação do inimigo, dar legalidade a ele, etc, convenhamos, uma brecha, porta ou porteira ali foi aberta, que veio a se transformar numa cratera de conseqüências danosas tempos depois, virando uma prática costumeira entre nósNossa história não deve ser contada sem este registro, que aliás, nenhum livro nosso faz referencia, apenas ignora. Reconhecer uma falha é um ato de grandeza, omiti-la nos torna menores.

Os anos foram passando, a obra cresceu e se estabeleceu num ritmo impressionante, através de homens simples, muitos dos quais com pouco ou nenhum preparo adequado, mas, cheios do espírito santo, esforçados, acreditando num sonho. Homens que deram suas vidas em prol do engrandecimento do Reino de Deus, numa época de muito Sacrifício e falta de tudo. Sou da 2ª metade dessa história – nasci em 1955, e desde então nessa denominação, acompanhando todas as transformações pelas quais passamos. Sou ainda de um tempo, onde a igreja orava para que alguém fosse separado ao diaconato; tempos de muita seriedade ...

Apesar desse crescimento meteórico, a igreja manteve de certa forma, a sua liturgia de culto, a sua linha doutrinária, cujos pilares eram a oração, o evangelismo, o estudo da palavra, e principalmente a busca da manifestação dos dons do espírito, marca pentecostal que nos diferenciava das demais denominações.

QUEM SOMOS  A explosão de crescimento como era previsível, trouxe-nos ganhos e perdas, prós e contras. A igreja das últimas décadas, trocou todo aquele inicio fulgurante, toda pujança, luta e suor, por coisas menores, como interesses pessoais em se apegar ao poder sem dele abrir mão de jeito nenhum. A visão de Reino de Deus, foi substituída pela visão de empreendimentos comerciais, negócios lucrativos, e passamos a viver a filosofia do “quanto maior a obra, melhor para mim. Passou-se a correr atrás de pessoas que melhorassem as finanças da igreja, números, faturamentos. Não generalizo, há as exceções, claro. Muita gente não fez coro com isto, sem dúvida. Há homens de Deus que sempre fizeram a diferença !

Nem preciso registrar que tais mudanças afastaram de nós :

1)  Os batismos com o espírito santo,
2)  As manifestações de Deus operando milagres em nosso meio, e
3) A salvação de almas pelo poder do evangelho, dentre outros 
ganhos conquistados com lágrimas. 

Fomos aos poucos nos descaracterizando, perdendo a marca que o mundo via em nós, deixando de fazer a diferença, e passando a ser mais um na multidão. Era o Império em Ruínas, as bases ficando comprometidas e toda a estrutura sinalizando que algo não estava bem. Quem não se lembra do rompimento das Assembleias de Deus no início dos anos 80, com a Madureira ?, uma história nunca contada em sua verdade cristalina, cuja versão mais plausível, discutida e comentada até hoje, é a de que não havia espaço para dois líderes ambiciosos num mesmo trono em tempo real  Pastores José Wellington Bezerra da Costa e Manoel Ferreira, este último hoje bispo daquela igreja. Dali em diante, divisões e divisões se sucederam, numa velocidade nunca antes vista. 

Foi-nos dito à época, que aquela cisão se deveu ao fato de “precisarmos manter a sã doutrina, coisas assim. Daquela época para cá, o pastor José Wellington Bezerra da Costa, que já era presidente da AD Ministério do Belém em São Paulo capital e em todo o estado, e presidente também da CONFRADESP-Convenção Fraternal das Assembleias de Deus no Estado de São Paulo, assumiu a CGADB, onde permanece até hoje, através de sucessivas eleições, muitas das quais exaustivamente questionadas.

Não vou nem devo entrar no mérito de suas gestões, que já ultrapassam 3 décadas. Penso que houveram conquistas e perdas. Hoje, vivemos os dias que antecedem novas eleições para a CGADB 09 de abril próximo, e após todos esses anos no comando dessa instituição, finalmente o patriarca está saindo, porém, apresentando um filho para ficar em seu lugar. PASMEM, É VERDADE !

Ora, não poderia ser nenhum outro dos quase 100 mil pastores brasileiros dessa instituição, tinha que continuar tudo em família, ninguém que não seja do clã Wellington tem capacidade para tanto ? É a pergunta que eu e muita gente se fazChega a ser um acinte, um desrespeito tamanha pretensão, e o pior, com chance real de emplacar o filho. Bom registrar que aqui não vai nenhuma crítica pessoal nem ao pai, nem ao filho, e sim, ao modelo NEPOTIVISTA e imperial que tomou conta de nossa denominação, contribuindo para estarmos onde chegamos – mais fragmentados que areia da praia.

Essas eleições de domingo próximo estão sendo judicializadas, recheadas de ações e liminares – falasse em quase 30. Acusações as mais diversas e desonrosas ao evangelho do Senhor Jesus, e troca de farpas de lado a lado. Não há nenhum inocente nesta história, nenhum santo, todos tem culpa no cartório de certa forma, e as conseqüências são para a igreja do Senhor, sem dúvida. Todas as convenções tem sido marcadas por coisas terríveis, e certamente Deus – que nunca esteve nisto, continua muito distante, sem a mínima intenção de aproximar-se - é a minha leitura.

O candidato da situação é o Pastor José Wellington Bezerra da Costa Júnior, presidente da Assembleia de Deus ministério do Belém em Guarulhos-SP, e presidente do Conselho Administrativo da CPAD-Casa Publicadora das Assembleias de Deus no Brasil.

O seu opositor é o Pastor Samuel Câmara, presidente da Assembléia de Deus Igreja mãe em Belém-PA. e ex vice presidente da CGADB. Pela primeira vez as eleições serão informatizadas, onde os quase 100 mil pastores, votarão sem a necessidade de ter que sair de casa.

QUEM SEREMOS  Nessa derrocada e falta de rumo, a nossa denominação não é nem a sombra do que já foi, apesar de ter se tornado a maior igreja do país ao longo desses anos, dados que nos impressionam, mas, nem tanto a Deus. Nos transformamos  numa imensa Colcha de Retalhos, um amontoado de Convenções Estaduais Divididas, com alguns líderes que não se cumprimentam, mas, pregam o amor ao rebanho, mesmo que eles não falem a mesma língua, nem se olhem nos olhos. Há uma situação assim em Pernambuco, de conhecimento público e notório. É hipocrisia demais para vida cristã de menos, homens amantes de si mesmos, como a palavra diz. Como conceber um pastor presidente de uma convenção, inimigo de um outro pastor ? Temos isto em convenções da CGADB, briga por vaidades locais, disputa de territórios, briga de egos, conquistas de fatia de mercado, como comercialmente se diz. Ao invés de potencializar troca de gentilezas e experiências, se odeiam, comportamento que é refletido em suas ovelhas. 

A grande preocupação de muitos pastores conservadores, uma ala que defende a volta às boas práticas, mas que tem perdido espaço por conta da avalanche desses garotos fabricados pastores, é quanto ao legado que essas lideranças de hoje estão escrevendo às gerações vindouras. O que será da igreja, se Jesus não voltar logo ?

Não foi este o evangelho da IGREJA PRIMITIVA pregado pelos apóstolos, o discurso que vitimou tantos mártires, a pregação da fé que motivou o povo cristão àquela dura e sangrenta época, a ser jogado nas arenas de Roma, para saciar leões famintos sem negar a sua fé. Perderam suas vidas e ganharam os céus. Aquela igreja, assim como a igreja que nos dias atuais tem sido torturada pelo Estado Islâmico em tantos países do mundo – sem que nos preocupemos com isto, de fato, tinha as marcas de Cristo e erguia a sua bandeira, a bandeira do calvário.

Sobre o que está acontecendo com a igreja subterrânea no mundo, não se ouve sequer, em nossos cultos, um pedido de orações por nossos irmãos de lá, mas temos que ouvir PEDIDOS DE DINHEIRO E DINHEIRO PARA TUDO, inclusive para aumentar o patrimônio de muitos deles, talvez. Muitas das igrejas e grandes ministérios de hoje, não resistiriam a uma CPI MEIA BOCA. Se o ministério público resolver levantar as finanças de muitas delas, provavelmente complicará a vida de muita gente. Que Deus tenha misericórdia de sua Igreja. Ninguém está acima da obra de Deus, ninguém tripudia sobre a noiva de Cristo, e fica impune. Deus não se permite escarnecer.

RESPONDENDO A QUATRO PERGUNTAS BÁSICAS
SOBRE AS ELEIÇÕES DESTE DOMINGO :

1.1  Sobre a perpetuação no poder de Pastores de Grandes campos, ministérios, Convenções Estaduais e Geral.

O modelo Assembleiano é o mais retrógrado que se pratica nos meios evangélicos no Brasil, onde nem o corpo ministerial, o presbitério, obreiros e muito menos a igreja, são consultados sobre a permanência ou substituição de seu pastor. Muitas vezes a igreja está feliz com o seu líder, ele é amado por todos, e está desenvolvendo um grande trabalho, mas, por razões que não são explicadas a ninguém, ele é subitamente trocado do dia para a noite, às vezes para satisfazer “interesses outros– um queridinho precisa vir para o seu lugar. Este é o estranho e autoritário procedimento assembleiano. É o modelo da força, da imposição, do autoritarismo.

Por outro lado, há os casos de pastores que ficam anos e anos na mesma igreja, passam do tempo, cansam o rebanho, entram na caduquice, mas, ficam ali, insistindo com uma chamada que o tempo já disse que acabou. Esses casos se repetem com anciãos que fizeram história em determinadas igreja, e, por conta disto, precisam ser recompensados ali, no trono até morrer. Muito mais fácil jubilá-lo de forma respeitosa e descente, preservando a igreja de tanto sacrifício e vexame.

1.2  Nepotismo em nosso Meio.

Uma prática que tomou conta de nossa denominação de forma VERGONHOSA, ANTI BÍBLICA e IMORAL até. A obra de Deus se transformou em objeto de interesse familiar de determinadas familias. Transformaram a casa de Deus em dinastia, capitania hereditária. Infelizmente, campos interessantes só são passados para os filhos de quem lá está liderando há décadas. A maioria desses pastores forma uma base de sustentação, trabalha os seus aliados como se faz na política mundana, fazem alianças e costuras as mais espúrias possíveis, e assim, transferem a igreja para o filho, genro ou quem eles quiseram à revelia, sob a tese de que esta é a vontade de Deus, e claro, com o respaldo do grupelho que ele formou com esta maquiavélica intenção.

Por outro lado, muitas vezes esse procedimento acontece contra a vontade da igreja e dos obreiros, à força, o que tem provocado escandalosos e rachas todos os dias, nessa já descolorida COLCHA DE RETALHOS que nos transformaram.

1.3  Política mundana no altar de Deus.

O processo de eleições de presidentes estaduais e nacional, é algo parecido com a política do mundo, onde se negociam cargos, igrejas, apoios a candidaturas a cargos públicos, etc. Acompanhei no nordeste, um caso de um pastor amigo meu, que disse – e assim foi, ter aberto mão de ser candidato a presidência da igreja da capital naquele estado, para ser posteriormente, apresentado por quem ele apoiava, a deputado Federal, tão logo o seu amigo fosse eleito e Assim foi. O amigo assumiu a igreja e fez dele um deputado federal. Isto me foi contado por ele, pessoalmente à época. Nem acreditei no que estava ouvindo, mas os fatos comprovaram tudo, dias depois. Essa sem vergonheza pode, é legal, a bíblia deles aprova e suas teses também. Não sei no dia do juízo final – é com o Senhor.

Campanhas para presidentes de grandes campos são iguais a política cotidiana, com denuncias de corrupção, abuso de poder econômico, derrame de dinheiro, compra de votos, negociatas de permutas de campos, promessas, dentre outras, tudo isso na casa de Deus. Sem contar as consagrações de obreiros que eles fazem às vésperas desses eventos, no varejo e no atacado. Consagram qualquer pessoa que se comprometa a votar neles. É um nojo o que estão fazendo com o santo evangelho de Jesus no Brasil, em tempos de campanhas eleitorais, daí a expressão : 

DEUS CRIOU A SUA IGREJA, E O DIABO AS CONVENÇÕES

Tudo isto sem contar no palanque eleitoral que a igreja se transforma, em campanhas políticas mundanas, com gente de toda espécie invadindo o altar de Deus, pregando, lendo a bíblia, se dizendo servo de Deus, amigo do pastor, um quase crente, para pedir votos com o aval desse desastrado e irresponsável líder. Tô falando de coisas que acontecem nas Assembleias de Deus brasileiras, sempre.

1.4  Qual o melhor dos candidatos a presidente da CGADB neste pleito.

Uma boa pergunta. São três os candidatos : Pr José Wellington Jr de São Paulo-SP, Pr Samuel Câmara de Belém-PA, e Pr Cícero Tardin de Alto Piquiri-PR, esse a meu ver, um coadjuvante sem a menor chance de vitória, correndo por fora, mero figurante.

SOBRE OS CANDIDADOS – PRÓS E CONTRAS


Pr José Wellington Jr  Tem a seu favor, o fato de ser vice presidente do pai na igreja sede, presidente no setor de Guarulhos-SP, presidente do Conselheiro Administrativo da CPAD, e ter sido indicado pelo pai, que tem feito campanha aberta para ele, com o peso e o prestígio do seu nome. 

Tem contra si o fato de ser uma pessoa de pouca comunicação, de estilo recatado, não dado a muita conversa e sorrisos, nunca ter liderado um grande número de pastores – exceto em Guarulhos, não ser um exímio orador, e pouco se pronunciar em debates, o que faz parte do seu temperamento.


Pr Samuel Câmara - Tem a seu favor, o fato de ter sido vice presidente do Pr Alcebíades Pereira Vasconcelos em Manaus-AM, um dos maiores, cultos e influentes pastores de nossa denominação, é presidente da AD em Belém-PA, igreja mãe, é fluente orador, e se apresenta como a renovação, o novo, o diferente e anti nepotista. 

Tem contra si o fato de ser pouco político, passando a impressão de que teria dificuldades em lidar com líderes, tem dificuldade em manter o equilíbrio quando é confrontado, não costuma ouvir conselhos e orientações de ninguém - dizem alguns auxiliares seus, e via de regra, age por seus impulsivos instintos, sem pensar nas conseqüências do que fala.


Pr Cícero Tardin  Não sei muito sobre ele, apenas que disputou a presidência da Convenção das Assembleias de Deus no Parará nas últimas eleições, perdeu para o Pastor Perci Fontoura, e se diz candidato a tudo que surgir – palavras dele. Em seu estado é conhecido, fora nem tanto, seria uma incógnita, pouco ou nada se conhece do seu perfil. Corre por fora, como se diz.

COMO SERÁ O MEU VOTO, POSSO DIZER ?

BOM MEU VOTO É PARA NENHUM DELES. Respeito os dois, mas, esse modelo de evangelho foge a todos os princípios cristãos. A meu ver, Deus está anos luz longe  de tudo isto, certamente muito irado com o que fizeram de sua igreja. Não consigo associar isto a algo de Deus. Como não posso votar nos dois candidatos, não votarei em nenhum deles.

Tenho ou sempre tive trânsito livre nos dois lados. Fui pastor nos EUA de 2002 a 2008, trabalhando com a CONFRADEB USA-Convenção Fraternal das Assembleias de no Brasil, USA, na liderança do Pr Joel Costa Freire, filho do Pr José Wellington Bezerra da Costa, e em minha volta ao Brasil, de 2011 a 2013, me filiei a CIMADB-Convenção da Igreja Mãe das Assembleias de Deus no Brasil, com o Pr Samuel Câmara, deixando por onde passei história limpa, portas abertas e muitos  amigos


Converso com muitos companheiros, a maioria não quer ou não pode mostrar a cara, faz parte e respeito. Eu sempre falei o que penso, mostrando o lado que defendo, acredito e estou. Não me fixo nesse negócio de que posso ficar mal com este ou aquele. Vivo do meu trabalho e quem cuida de mim é o Senhor. Há coisas que não se deve vender : A dignidade, a honra, e o caráter. Jamais diria que estou sem estar, é um posicionamento muito pequeno. Quando fui do Belém nos EUA, fui de corpo e alma. Quando estive na CIMADB, o fiz de coração. 

Agora sou apenas a igreja do Senhor e nada mais que isto.

Lembre-se, o seu voto deve ser exercido com consciência, e nunca por influência de ninguém. Exercite o seu direito de voto livremente, em quem você acreditar.

PENSE NISTO E EXERÇA O SEU DIREITO DE ESCOLHA em sua total plenitude. Seja quem for eleito, que Deus nos proporcione dias melhores, tempos de paz, menos sombrios e mais, muito mais promissores, é o nosso sincero desejo.

ENTENDA MELHOR TODO ESSE QUEBRA CABEÇA :

Pastor José Wellington Júnior

Pastor Samuel Câmara 


Pastor Cícero Tardin 


PASTOR EDUARDO SILVA

3 comentários:

Edson Manoel disse...

Não existe texto algum que expresse a real sit de nossa querida denominação, do que este. É lamentável, mas verdadeiro! Tenho lágrimas nos olhos! Concordo com o senhor em gênero, número e grau!

Pastor Eduardo Silva disse...

Meu caro Edson Manoel, agradeço suas considerações. Ficaria muito mais feliz, que estivesse me confrontando, por tudo o que aqui escrevi ser improcedente, mas, para tristeza geral da igreja, é verdadeiro o que afirmo, apenas um pouco do muito que poderia ser dito. É lamentável como estão gerindo a coisa santa. Neste momento, domingo 09 de abril de 2017, 12:43, as eleições estão suspensas por determinação judicial, sob graves e inaceitáveis acusações de corrupção em nosso meio. Só Deus para intervir em sua igreja - e a igreja é dele...

Assembleia de Deus de Tenete Laurentino Cruz disse...

Gostaria neste momento poder confrontado, dizer o contrário, mas esta é a triste realidade, e digo mais,vergonhosa; que o Senhor tenha misericórdia de sua igreja no Brasil,é que nós possamos tomar posição, é procurar fazer a diferença, já que muitos não primam por isto. Deus se compadeça das Assembleias dele no Brasil,porque não dizer no mundo. Maranata.