sábado, 16 de junho de 2012

Mulheres Pastoras na Assembléia de Deus !

CEADDIF RECONHECE MULHERES COMO PASTORAS


A CEADDIF – Convenção das Assembleia de Deus do Distrito Federal, que tem como presidente o Pr. Sóstenes Apolos reconhece o ministério pastoral das mulheres. Em Assembleia Geral Ordinária (AGO) realizada de 29 de setembro a 01 de Outubro de 2011, a CEADDIF aprovou o ingresso de mulheres com membros da convenção e a ordenação a pastora. A proposta foi aprovada pela maioria dos presentes.
A CEADDIF é filiada a CGADB – Convenção Geral das Assembleia de Deus no Brasil, que não tem em seus quadros mulheres como membros, ou pelo menos não tinha até o momento. A CGADB não consagra ministros, quem o faz são as Convenções regionais (como a CEADDIF), e após a ordenação, são encaminhadas fichas dos consagrados (agora das consagradas), para o devido registro junto a CGADB. Neste caso da ordenação de pastoras, o que será que vai acontecer? Qual será a posição da CGADB? O que você acha sobre a ordenação de mulheres? VOTE NA NOSSA ENQUETE.
Lembramos que desde 2008, consta registros de que uma igreja ligada a CEADDIF (Assembleia de Deus do Plano Piloto http://www.adnovodia.com.br/apres.asp) já possuía em seus quadros pastoras, conforme registro no blog do Pr. Altair Germano http://www.altairgermano.net/search?q=Plano+Piloto , a surpresa está na ordenação de mulheres pela própria CEADDIF.
Aguardamos com apreensão o parecer da CGADB sobre a matéria.

36 comentários:

Daladier Lima disse...
A propósito deste assunto, o estatuto da Convençãoda CEADDIF, em vigor desde 27/03/2010, em seu artigo 71, predispõe o seguinte: As Igrejas filiadas a CEADDIF poderão separar mulheres para Diaconisas e Missionárias, estas últimas com as prerrogativas do cargo de Presbítero.
Elias Costa disse...
PENSO QUE A PROPOSTA DE CONSAGRAÇÃO DA CEADDIF, DEVERIA SER ENCAMINHADA A CGADB PARA AVALIAÇÃO, E JUNTAS CHEGAREM A UMA PROPOSTA, E NÃO DECIDIR UMA POSIÇÃO UNILATERAL. EM PARTICULAR EU ACHO QUE ESTÁ ERRADO. TODAS AS INSTITUIÇÕES ESTADUAIS LIGADAS AS NACIONAIS, OBEDECEM A UM ESTATUDO. EXEMPLO. OAB E OUTRAS..
Gabi-Net Pastoral disse...
Chamo-mo Wilson, sou pastor da CEADDIF e autor do projeto que deliberou pela ordenação de mulheres. Há um princípio jurídico civil de que o que não é proibido é permitido. Conforme o irmão Elias diz, a CEADDIF e demais convençoes estaduais obedecem ao Estatuto da CGADB que não só não diz que não pode como apoia a decisão que tomamos. É só conferir o Art. 4º, inciso III, parágrafo único, alínea "e", que diz:

"Art. 4º. Compete à CGADB:
................................................
III - assegurar a liberdade de ação inerente a cada Igreja Assembléia de Deus no Brasil, na forma de sua constituição estatutária, sem limitar as suas atividades bíblicas acorde com este Estatuto, com absoluta imparcialidade;
..................................................
Parágrafo único. Consideram-se ações inerentes a cada Assembléia de Deus no Brasil:
..................................................
e) a apresentação de candidatos a pastores e a evangelistas na respectiva Convenção Estadual ou Regional;
................................................."

Pelo texto aqui mostrado, que pode ser perfeitamente encontrado no site da CGADB, aquela convenção não só não pode interferir como está obrigada, para não ser mentirosa, a defender a decisão legítima tomada pelos bravos de Brasília.
Gabi-Net Pastoral disse...
Existe, em relação, ao comentário do companheiro Elias Costa e ao meu anterior, de 23 de janeiro, algumas observações que são elucidativas. A CGADB não é hierarquicamente superior às Convenções Regionais. Estas filiam-se àquela por pacto de adesão. Precisam as regionais cumprir o Estatuto da CGADB. Do contrário, deve ser excluídas. A OAB, por ter o status de autarquia é um orgão que se equipara a qualquer orgão de classe, criado por lei. A OAB tem, a este respeito, um aspecto que a destaca. Ela tem previsão constitucional. As seções regionais, se desafiam à instância federal respondem muito mais severamente do que uma convenção regional. De mais a mais, orgãos seccionais não precisam fazer tudo pedindo a benção à instância federal. A lei constitutiva desses órgãos deixam pontos em que as secções dispoem com liberdade discrionária. Neste ponto, pela que o próprio Estatuto dispõe, a CGADB se assemelha a orgãos de classe e deixa áreas em que as Convenções Regionais estão livres para dispor. Se a CGADB cochilou ou não, eu não sei. Apenas posso afirmar que o trecho em que me baseei para propor a ordenação feminina na CEADDIF é claro em vedar à CGADB interferência nesse caso e em proclamar solenemente a liberdade com que chegamos aonde chegamos. Não foi ato rebelde e nem ato que dependia da aprovação da referida instância nacional.
Pr. WILSON BARBOZA
Coop. André de Oliveira disse...
A única coisa que tenho a dizer com isso é que me entristeço por extremo em deixarmos que em dois mil anos de história da Igreja, abra-se tal brecha na convenção para tal coisa.É fato que a Bíblia não é contra nem a favor, porém se olharmos para os Pais da Igreja não veremos os Apóstolos colocando essa responsabilidade na mão de mulheres e nem mesmo os Reformados. Não por não serem capaz, mas porque, simplismente, não é uma função outorgada a elas.O problema é que o movimento feminista dos ultimos tempos diz que a mulher precisa de igualdade em tudo e ainda diz que se não, a mulher ficará em desvantagem. Entretanto quando se fala de IGREJA a coisa é diferente! Inventa-se uma desculpa em dizer que os homens não querem fazer a obra de Deus e por isso "deus" levanta as mulheres pra serem pastoras.Isso é infundamentado pois a Obra de Deus nunca ficou sem homens pra fazer. Sem contar que, no dia da ordenação, o nosso Pr. Sóstenes em uma péssima exposição do Evangelho disse que se a Marina Silva-ex-candidata à Presidência da Republica - tem capacidade pra governar o Brasil, por que nao teria pra ser "ministra do Evangelho?!É triste saber que homens que se dizem "homens de Deus" estão a frente de um movimento que afunda ainda mais as Assembléias de Deus no Brasil! Ainda bem que Deus conserva Seu remanescente.

Att: André de Oliveira
IEAD - VIDEIRA
blogger disse...
Pastor Wilson,eu tenho algumas perguntas que desejo fazer para vossa Rev.ma ,eu por infelicidade pertenço a uma igreja filiada a esta conveção que o senhor é pastor,estive presente no culto onde ocorreu a ordenção de pastoras é para mim foi um absurdo participar de um espetaculo como este dentro da minha tão amada e querida Assembleia de Deus.Não sou nenhum teologo mas aprendir pelo meus pastores assembleianos a saber ,Pastor José Laerte e Pastor Barros que a biblía e a palavra de Deus ,inerrante,infalivel e totalmente inspirada ou seja nossa "unica" regra de fé e prática.Mais o que ocorreu no último sabado foi algo completamente anti-bíblico,não existe nenhum texto neo-testamentário que legaliza a ordenação de mulheres(se o senhor souber pode me mandar),vejo Paulo dizendo "convém ao bispo(episcopo) ser irrepreensivel..""confia esta palavra a homens idôneos.."(repare na palavra bispo masculino e homens.)Jesus foi uns dos homens mais radicais e menos precoceituoso ,mas ele nunca ordenou uma "apostola",Pedro e os outros também não fizeram,Paulo não fez,os pais da igreja não ordenaram,os reformadores da igreja Lutero,Zwglio,Knox não fizeram enfim A biblia não apoia ordenação feminina,a historia da igreja também não e por que voces passaram por cima da palavra de Deus quebrando tão grande principio?Voces assumiram o liberalismo teologico e neo-ortodoxia como base de vossos ministerios ,voces na pratica estão negando "que toda a escritura e inspirada" ou seja ela não e ,mas contem a voz de Deus.Daqui uns tres anos voces concerteza estarão ordenando pastores gays assim como fez todas as igrejas que ordenaram mulheres, pois não é biblico mulher ser pastora...

Diácono Samuel carneiro
Nordestino de coração disse...
Conforme o próprio Pastor Wilson que deixou acima registrado o que diz o texto na publicação do estatuto da CGADB, em seu artigo 4º, parágrafo único, letra e:

"Art. 4º. Compete à CGADB:
................................................
III - assegurar a liberdade de ação inerente a cada Igreja Assembléia de Deus no Brasil, na forma de sua constituição estatutária, sem limitar as suas atividades bíblicas acorde com este Estatuto, com absoluta imparcialidade;
..................................................
Parágrafo único. Consideram-se ações inerentes a cada Assembléia de Deus no Brasil:
..................................................
e) a apresentação de candidatos a pastores e a evangelistas na respectiva Convenção Estadual ou Regional;

O substantivo ali é "pastores" e não "pastoras" até porque o pastorado feminino NÃO É bíblico. E o verbo assegurar não significa concordar. E apresentar não significa aprovar ! Ainda que este assegurar entendam como concordar a Bíblia Sagrada NÃO DÁ respaldo prá consagração feminina, apesar de, graças a DEUS, termos mulheres guerreiras, valentes e honradas na Obra do PAI. E não precisam ostentarem um nome que não tem respaldo bíblico. Se a CGADB não fizer nenhuma sanção disciplinar contra a CEADDIF neste aspecto ela estará incorrendo num erro grave diante de Deus e diante das AD's no Brasil. Já tem um movimento que estará cobrando isso dela a partir de agora e na próxima AGO que provavelmente será em Brasília-DF, em 2013. DEUS vai derrubar este Golias, em nome de JESUS CRISTO. Tá a fim de liberar geral ? peçam prá sair. Esperem prá nos ver, CEADDIF.
Gabi-Net Pastoral disse...
"Tá a fim de liberar geral ? peçam prá sair. Esperem prá nos ver, CEADDIF."
Vejam, queridos, o nível retórico a pretexto de estar zelando pela Palavra. Normalmente é por isto que procuro não explicar muita coisa na Internet. Via de regra o anonimato permite que toda a classe e elegância que temos no templo vire ou a agressão ou a zombaria que nunca recomendamos. Vou responder ao diácono Samuel Junior, que me interpelou de maneira um pouco mais educada. Vou numerar ponto a ponto:
1. "Daqui uns tres anos voces concerteza estarão ordenando pastores gays assim como fez todas as igrejas que ordenaram mulheres, pois não é biblico mulher ser pastora...". Você, meu diácono, está fazendo uma confusão argumentativa. Uma coisa é a Bíblia condenar o homossexualismo e nós a desobedecermos e outra bem diferente e ela nada dizer a respeito de ordenação feminina e as pessoas entenderem que devemos obedecer um nada que não foi dito. Se entendermos que um tratamento dada a mulher é prévia de um tratamento dado a homossexuais, nós estaremos com problema com nossa própria sexualidade. Para um gay, o homossexualismo é algo próximo à feminilidade. Para nós, não. Para o seu governo, praticamente todas as igrejas neo-pentecostais ordenam mulheres e nenhuma ordena gays. Vide Sara Nossa Terra, Renascer em Cristo e outras. É claro que você não quis ser falso. Apenas se equivocou.
2. No tocante a Jesus ter feito ou não ter feito algo, é perigoso tirar daí doutrina ou proibição. Jesus, por exemplo, só chamou homens para o jantar da Páscoa em que instituiu a Ceia do Senhor. Nós não podemos dali tirar a doutrina de que só homens podem participar da Ceia.
3. Ainda com respeito à doutrina tirada do comportamento, podemos perceber que ordenação ao pastorado, como hoje fazemos, não existe na Bíblia. Seja ordenação de homens seja de mulheres. Jesus, por exemplo, no que diz respeito a apóstolos, ele orou uma noite e, na manhã seguinte, chamou e enviou os doze. Nós, se quisermos, daremos a isto o peso ritualístico que buscamos para o ofício religioso. Se nos ativermos apenas à Bíblia, sem torcê-la ou colori-la, a única conclusão que podemos tirar é a de que Jesus chamou e enviou. Nada mais. Se assim é, a única desvantagem que as mulheres levam é a de que elas não se prendem a rituais. Elas, em Lucas 8, entenderam as bênçãos que receberam como chamado e como envio. Não precisaram de que fosse feita uma cerimônia. Se você conhece bem o caso de Naamã, vai entender bem esse perfil masculino. Ele queria ser curado com ritual e pompa. Que bobagem! Quando, no sepulcro de Cristo, na narrativa de Lucas, as mulheres são ENVIADAS aos apóstolos, o anjo usa como credencial não uma informação do momento, mas a formação que elas receberam do próprio Cristo. Elas ficaram ENVIADAS, estavam ENVIADAS pelo ensino e pela formação.
4. Com respeito ao apóstolo Paulo, a Bíblia não fala de seu sua ordenação. Devemos entender que ele era apóstolo porque Jesus apareceu a Ele. A igreja, pelo relato de Lucas, em Atos, não acreditava nele, no início. Os apóstolos, como se extrai de Gálatas 1 e 2, só o apoiaram quando ele já estava pregando na condição de apóstolo há muito tempo. Com respeito a sua situação, Paulo diz
“Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze. Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também. Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos. E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo. Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus.1 Coríntios 15:3-9.
(continua)
Gabi-Net Pastoral disse...
(continuação)
5. Se não queremos mentir a respeito do assunto, temos de afirmar que Paulo não foi ordenado de forma semelhante à ordenação da CEADDIF e muito menos de forma semelhante aos demais apóstolos. Sequer passou pelo crivo do último dos eleitos, que foi Matias. Quando Paulo, no mesmo texto diz, “E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze”. Ele não só está reconhecendo que Matias era apóstolo como também o processo que o elegeu. Só que o processo de Paulo foi outro e a confusão de formas agora instalada não permite dizer qual delas tem a ver com a ordenação da CEADDIF ou mesmo se nenhuma delas tem a ver... A dedução mais palpável é de que ele, Paulo, encontrou com Jesus e entendeu que ele era apóstolo a partir disto. Aí alguém me pergunta: E se Jesus afirmou a Paulo, em particular, no encontro citado, que ele era apóstolo? Eu respondo: FALTA O TAL RESPALDO QUE ESTÃO COBRANDO DE NÓS. Ou seja, que quiserem ser coerentes devem deduzir que se a Bíblia não diz é porque não aconteceu, logo Paulo foi apóstolo da cabeça dele ou foi apóstolo sem ordenação ou que ordenação só um ritual, mais nada.
6. Este é na verdade o ponto onde todo o erro interpretativo começa. A BÍBLIA NÃO DIZER NÃO QUER DIZER A BÍBLIA PROIBIR. De onde eu tiro tanta certeza? De alguns pontos importantes:
a) Em Atos 15 ocorre o primeiro Concílio da igreja. O tema: “Circuncisão para prosélitos cristãos gentios – sim ou não?” Se observarmos a “ata” do Concílio provocado por Paulo, a circuncisão é ignorada, porque os apóstolos e os irmãos conciliares perceberam que o problema estava na liberdade. Devemos ou não cultivar a prática de proibir e controlar as coisas. O resultado foi:
Os apóstolos, e os anciãos e os irmãos, aos irmãos dentre os gentios que estão em Antioquia, e Síria e Cilícia, saúde. Porquanto ouvimos que alguns que saíram dentre nós vos perturbaram com palavras, e transtornaram as vossas almas, dizendo que deveis circuncidar-vos e guardar a lei, não lhes tendo nós dado mandamento, Pareceu-nos bem, reunidos concordemente, eleger alguns homens e enviá-los com os nossos amados Barnabé e Paulo, Homens que já expuseram as suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Enviamos, portanto, Judas e Silas, os quais por palavra vos anunciarão também as mesmas coisas. Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, NÃO VOS IMPOR MAIS ENCARGO ALGUM, SENÃO ESTAS COISAS NECESSÁRIAS: Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá. Atos 15:23-29.
O princípio ali insculpido não era, como estão querendo no caso das mulheres, o de que SE DEUS QUISSESSE DEVERIA TER MANDADO. Era o contrário: SE DEUS NÃO QUISSESSE TERIA PROIBIDO. O que se deve entender do texto citado é que a Palavra de Deus é uma carta da liberdade, que deixa claro com imperatividade o que não quer, para que a liberdade seja uma conquista divina e não uma permissividade maligna.
b) Do evangelho de João, podemos retirar duas pérolas:
Este é o discípulo que testifica destas coisas e as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro. Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem. Amém. João 21:24-25
Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai. João 14:12.
Não achar algo na Bíblia e julgar que por isto está proibido ofende e agride o que está escrito em João 21:24-25. Houve coisa que Jesus fez e não foi escrito. Não há como afirmar que Ele não ordenou mulheres só porque não achamos na Bíblia. Até porque teríamos de entender que Paulo também não foi ordenado, como já explicamos. Por outro lado, a Igreja se limitar a fazer o que Jesus fez, APENAS DO JEITO QUE ELE FEZ, anula o que está escrito em João 14:12. Ali Ele autoriza a Igreja a repetir seus feitos de forma aumentada, redimensionada.
(continua)
Gabi-Net Pastoral disse...
(continuação)

7. Finalmente, como homem mais velho e, com a ajuda de Deus, professor de Português, vai um conselho. Favor não insistir na questão do masculino na Bíblia. É por demais cansativo falar sobre isto e qualquer um sabe que é não passa de uma brincadeira com palavras. Leia a Bíblia toda e procure ver se você não está anulando por preciosismo o efeito da própria Palavra. E só ser sincero e responder-me: Quando a Bíblia quer incluir as mulheres ela faz o quê? Ela diz o homem e a mulher? Você sabe que não, não é companheiro? A gente tem que ser um pouco mais sério com estas coisas porque a pessoas mais simples que nós que caem no engano se pegam dois obreiros nesta discussão estéril. Se esta técnica de exegese for ensinada, os textos a seguir passam a ser aplicados só a homens:
a) Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Salmos 1:1
b) E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo, Hebreus 9:27
c) O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem. Mateus 15:11
É claro que a saída passar ser a de que NESTE CASO É DIFERENTE. Costuma ser mais fácil do que dizer EU ME ENGANEI.
Aliás, é bom perguntar: Por que mesmo Jesus é chamado de Filho do Homem? Ele adentrou na espécie humana por uma mulher, não foi? O Pai de Jesus não era humano, não é mesmo? A expressão Filho do Homem se refere a Jesus ser, após a incarnação, pertencente também à raça humana, além de à Trindade divina. Ou estamos todos confusos?
Por fim, dizer que sou um pastor acessível. Gostaria de que, em vez de na internet, a gente pudesse conversar na igreja mesmo. Seria um prazer que você, meu diácono, me daria. Até porque eu li isto no seu comentário "Voces assumiram o liberalismo teologico e neo-ortodoxia como base de vossos ministerios ,voces na pratica estão negando "que toda a escritura e inspirada" ou seja ela não e ,mas contem a voz de Deus". Ou seja, o irmão teria sido mais cortês e mais cristão se em vez de fazer um julgamento, pela sua visão, me chamasse para me ouvir. Eu o atenderia mesmo sabendo que o irmão está usando uma autoridade que não tem. Segundo Nicodemos, até no Sinédrio, entre fariseus, isto era garantido aos acusados.
"Porventura condena a nossa lei um homem sem primeiro o ouvir e ter conhecimento do que faz?"
João 7:51
Obrigado.
Recomendações a meu querido colega e pastor Laerte, na esperança de também ele leia a minha resposta.
Paz.
Gabi-Net Pastoral disse...
Pastor Samuel Neto,
Perdão mas fiz uma confusão entre o seu nome e o do diácono Samuel Carneiro cuja postagem respondi. Gostaria de valer-me desse momento para genericamente dizer que a Apologética que Jesus defendia obrigava para quem seguisse a lei a obediência total. Tropeçar num só ponto valia como tropeçar na lei inteira. Os legalistas de hoje (a ira dos inimigos da ordenação feminina é da lei e não da graça) incorrem neste erro. A pretexto de zelar pela "Lei" de Jesus e dos apóstolos, falam Voces assumiram o liberalismo teologico e neo-ortodoxia como base de vossos ministerios ,voces na pratica estão negando "que toda a escritura e inspirada". Eu posso dizer que é um zelo falso, na medida em que só no caso das mulheres ele aparece. A proibição de crianças participar da Ceia do Senhor não é bíblica, a mesma proibição aos novos convertidos não é bíblica. Novos convertidos e crianças pertencem ao Corpo de Cristo e às vezes com vantagem em relação aos veterenos. Obrigar a pessoa a fazer um curso de discipulado para depois batizar não é bíblico. João Batista não fez assim nem Felipe em relação ao ministro de Candace. No caso de Filipe a coisa é mais grave pelas próprias palavras daquele mestre:
"E, indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e disse o eunuco: Eis aqui água; QUE IMPEDE QUE EU SEJA BATIZADO?
E disse Filipe: É LÍCITO, SE CRÊS DE TODO O CORAÇÃO. E, respondendo ele, disse: CREIO QUE JESUS CRISTO É O FILHO DE DEUS.
E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou."
(Atos 8:36-38)
Em outras palavras, é bastante que a pessoa se converta para ser batizada, conforme a "inerrante Palavra de Deus", termos escolhidos pelo diácono Samuel Carneiro. Detalhe: fui acusado de violar um princípio baseado no que a Bíblia não diz. Estou respondendo baseado no que a Bíblia diz expressamente. Nada impede o batismo se simplesmente a pessoa crê em Jesus. O curso de catecúmenos é contrário a um ensino direto. Não dá para fingir que eu, pastor Wilson, não provei pela Bíblia que nas Assembleias de Deus são 100 anos de violação das Escrituras que não irrita ninguém como acontece no caso da ordenação feminina. Fica claro que o que estão defendendo não é a Palavra de Deus. Antes de alguém julgar dizendo que estamos negando que toda a Escritura é inspirada, deve fazer uma revisão na própria vida. De amanhã em diante, o diácono Samuel Carneiro como homem decente e coerente deve se sentir intimado a cobrar do pastor Laerte, e de outros com ele diz ter aprendido, a mudança na forma de tratar a Ceia do Senhor e o batismo. Não é rebeldia. É que se a Bíblia recomenda não ser demasiadamente justo, mas se nós insistimos em ser, devemos então ser demasiadamente justo com tudo, e não só com aquilo que ameaça o brio masculino.
Pastor Wilson
Gabi-Net Pastoral disse...
Pastor, Samuel.
Segue mais um pedido de perdão. Você deve ter percebido que fiz as postagens anteriores sob pressão e emocianado. Demorei dias para ver que em vez de Junior escrevi Neto, sendo que antes misturei seu nome com o do rapaz que postava no blog. Samuel Couto Junior. Como mortal, prometo continuar errando e pedindo perdão, mas este erro não cometo mais. Espero.
A paz do Senhor, amado.
Pr. WILSON BARBOZA
Prª Waldicéia de Moraes Teixeira da Silva disse...
PELO FIM DA OPRESSÃO ÀS MULHERES NAS IGREJAS EM GERAL
Como pastora conferencista, palestrante e pregadora da Palavra de Deus, a PALAVRA PROFÉTICA que Deus me deu para 2010 é “PELO FIM DA OPRESSÃO ÀS MULHERES NAS IGREJAS EM GERAL”.
Segundo o filólogo Aurélio Buarque de Holanda opressão é o ato ou efeito de oprimir,
exercício exagerado de poder ou de violência sobre indivíduos ou grupos.
As opressões em geral se manifestam de forma direta e/ou de forma indireta.
AS OPRESSÕES DE FORMA DIRETA SÃO CARACTERIZADAS PELO(A):
ato de oprimir;
exercício exagerado de poder;
violência sobre indivíduos.
PODEMOS PERCEBER AS OPRESSÕES DE FORMA DIRETA, ATRAVÉS DO ATO DE OPRIMIR, QUANDO EXISTE A PROIBIÇÃO DE QUE AS MULHERES:
. entrem nas assembléias das convenções de suas denominações;
. assistam as assembléias das convenções de suas denominações;
. tenham o direito de voz e de voto nas assembléias das convenções de suas denominações;
. se filiem as convenções de suas denominações;
. ocupem o púlpito e só dirijam as reuniões do círculo de oração, da união feminina, da assistência social, etc.; em “mesinhas” colocadas embaixo do púlpito;
. sejam ordenadas a pastoras, evangelistas, presbíteras e diaconisas;
. dirijam igrejas;
. dirijam cultos públicos;
. se candidatem aos cargos de presidente e vice-presidente da igreja;
. dirijam institutos, seminários, faculdades, universidades bíblicos;
. doutrinem, ensinem e preguem em cultos públicos, etc.
PODEMOS PERCEBER AS OPRESSÕES DE FORMA DIRETA, NAS IGREJAS QUE JÁ AVANÇARAM UM POUCO, ATRAVÉS DO EXERCÍCIO EXAGERADO DE PODER, QUANDO EXISTE A PROIBIÇÃO DE QUE AS MULHERES:
. ocupem o púlpito de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado ocupar o púlpito com o traje que escolher;
. cantem no coral de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado cantar com o traje que escolher;
. toquem instrumentos musicais na orquestra, de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado tocar com o traje que escolher;
. atuem como diaconisas, presbíteras, evangelistas e pastoras, de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado atuar nos mesmos cargos com o traje que escolher, etc.
PODEMOS PERCEBER AS OPRESSÕES DE FORMA DIRETA, NAS IGREJAS QUE JÁ AVANÇARAM UM POUCO, ATRAVÉS DA VIOLÊNCIA SOBRE INDIVÍDUOS, QUANDO DETERMINADAS MULHERES QUE SUGEREM, CRITICAM E QUESTIONAM SÃO PROIBIDAS DE:
• serem ordenadas a pastoras, evangelistas, presbíteras e diaconisas e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são ordenadas;
• dirigirem igrejas e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são enviadas para dirigir;
• dirigirem cultos públicos e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são designadas para dirigir;
• se candidatarem aos cargos de presidente e vice-presidente da igreja e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são indicadas para concorrerem aos mesmos;
• dirigirem institutos, seminários, faculdades, universidades bíblicos e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são convidadas para dirigi-los;
• doutrinarem, ensinarem e pregarem em cultos públicos e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são escaladas para doutrinar, ensinar e pregar nos referidos cultos, etc.
Prª Waldicéia de Moraes Teixeira da Silva disse...
AS OPRESSÕES DE FORMA INDIRETA SÃO CARACTERIZADAS PELO(A):
. efeito de oprimir;
. violência sobre grupos;
. sobrecarga com peso.
PODEMOS PERCEBER AS OPRESSÕES DE FORMA INDIRETA, ATRAVÉS DO EFEITO DE OPRIMIR, QUANDO AS MULHERES SEM MAIS SUPORTAR A OPRESSÃO NA IGREJA:
. desistem de sugerir, criticar e questionar;
. se calam, se conformam e se resignam;
. desistem do exercício de seus ministérios;
. adoecem acometidas de enfermidades como estresse, depressão, síndrome do pânico, etc.
PODEMOS PERCEBER AS OPRESSÕES DE FORMA INDIRETA, ATRAVÉS DA VIOLÊNCIA SOBRE GRUPOS, QUANDO AOS POUCOS DEPARTAMENTOS DA IGREJA LIDERADO POR MULHERES:
. são negadas verbas para investimento e as mulheres . precisam gerar recursos através de bazares, festas, cantinas, etc.; enquanto que nos departamentos liderados por homens as verbas são liberadas com presteza;
. há o corte de verbas, tendo as mulheres de complementá-las com bazares, festas, cantinas, etc.; enquanto que nos departamentos liderados por homens o corte não acontece;
. são exigidos o cumprimento de metas difíceis de serem alcançadas enquanto que nos departamentos liderados por homens, as metas exigidas são factíveis;
. são os únicos departamentos em que as mulheres podem doutrinar, ensinar e pregar, etc.
Prª Waldicéia de Moraes Teixeira da Silva disse...
PODEMOS PERCEBER AS OPRESSÕES DE FORMA INDIRETA, ATRAVÉS DA SOBRECARGA COM PESO, QUANDO DE EXIGE DAS POUCAS MULHERES QUE OCUPAM CARGOS NA IGREJA:
. entrarem e assistirem as assembléias das convenções de suas denominações, porém sem direito a se filiarem e sem direito a voz e ao voto;
. terem o direito de se candidatarem apenas aos cargos de secretária e/ou tesoureira, na diretoria da igreja;
. executarem as funções de pastora, evangelista, presbítera e diaconisa, no entanto, sendo proibidas de receberem esses títulos e recebendo o título de missionárias;
. um desempenho acima do desempenho exigido dos homens que também ocupam e/ou ocuparam o mesmo cargo;
. uma dedicação de tempo integral, sem remuneração, quando aos homens que ocupam e/ou ocuparam o mesmo cargo não se exige e/ou exigia essa dedicação e os mesmos eram remunerados para o exercício do cargo;
. entregarem o cargo, muitas das vezes por telefone, sem nenhuma justificativa plausível quando aos homens, normalmente existe uma reunião formal para que se dê a entrega do cargo, além de, ao mesmo tempo, elevá-lo a um outro cargo, de preferência superior ao que está deixando;
. exercerem o seu ministério em parceria com o marido, realizando as mesmas funções que ele e, o marido recebe o título de pastor, evangelista, presbítero e diácono e a mulher é proibida de recebê-los, além de o marido ser remunerado e a mulher não, etc.
Na Bíblia Sagrada, em Zc. 9. 8, 12, Deus faz uma promessa de proteção para Judá, enquanto seus vizinhos estiverem nas garras dos opressores e das opressoras (14): “Defenderei a minha casa contra os invasores e as invasoras. Nunca mais um opressor ou uma opressora passará por cima do meu povo, porque agora eu vejo isso com os meus próprios olhos. Voltem à sua fortaleza, ó prisioneiros, ó prisioneiras da esperança; pois hoje restaurarei tudo em dobro para vocês”.
EM 2010, AS PROMESSAS DE DEUS PARA AS MULHERES QUE FORAM E/OU ESTÃO SENDO OPRIMIDAS POR HOMENS E MULHERES, NAS IGREJAS EM GERAL, SÃO:
. Deus está vendo com os seus próprios olhos, cada uma das opressões de que as mulheres de Deus têm sido vítimas na Casa de Deus;
. Deus defenderá cada mulher de Deus contra todas as opressões de que têm sido vítimas na Casa de Deus;
. Deus nunca mais permitirá que os opressores e as opressoras, que têm agido na Casa de Deus, passem por cima das mulheres de Deus;
. Deus restaurará em dobro tudo que foi perdido por cada mulher de Deus, pela opressão sofrida na Casa de Deus.
MAS, PARA QUE VOCÊ MULHER, VIVA ESSAS PROMESSAS EM SUA VIDA, A PARTIR DO ANO DE 2010, PRECISA TOMAR ALGUNS POSICIONAMENTOS:
. colocar realmente Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo em primeiro lugar na sua vida;
. admitir que você está sendo oprimida;
. identificar que tipo de opressão você está sofrendo;
. ter a coragem de jejuar, orar e pesquisar a Palavra de Deus para descobrir tudo que Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo dizem contra a opressão;
. ir a Casa de Deus com o compromisso de não olhar para os opressores e as opressoras e sim para Deus, para Jesus Cristo e para o Espírito Santo;
. voltar a Casa de Deus, como prisioneira da esperança de que, O QUE DIZ A PALAVRA DE DEUS CONTRA A OPRESSÃO PREVALECERÁ, EM NOME DE JESUS!
blogger disse...
hotmail.coEXPOSIÇÃO BÍBLICA CONTRA A ORDENAÇÃO DE MULHERES
Por Maique Borges™ e Samuel Magalhães™
Pastor Wilson, primeiramente a paz do Senhor, confesso que fiquei um tanto surpreso diante de tais relatos que, por ser escrito por um mestre e servo de Deus, deveria ser fiel e seguir os padrões de interpretação bíblica e ortodoxa. Junto com diácono Maique da minha congregação, iremos trazer e mostrar bases bíblicas que proíbem expressamente a ordenação de mulheres queremos salientar que não temos nada contra o Senhor Como pessoa, mas nosso problema é contra as heresias que tens pregado. Vsª Rev. Mo disse: “… o irmão está usando uma autoridade que não tem.” Nós acreditamos Pastor que temos direito e dever de chamar ao arrependimento alguém que se apartou da verdade, por que assim a Bíblia nos permite, e movidos pela vontade de glorificar a Deus, mostraremos ao Senhor Que aquilo que você defende não tem coerência nenhuma com as Escrituras. “Meus irmãos, se algum de vocês se desviarem da verdade e alguém o trouxer de volta, lembre-se disso: que, converte um pecador do erro do seu caminho salvará a vida dessa pessoa e fará que muitíssimos pecados sejam perdoados”. (Tg 5. 19, 20).
I- Segundo suas palavras, não encontraremos nenhuma referência que condene a ordenação feminina. Eu e o diácono Maique, e todos aqueles que escolhem ser fieis a Palavra de Deus, discordamos de tal afirmação, pois o Senhor Deve ter se esquecido de alguns textos, queremos lembrá-lo:
1 Tm 2. 11-15: “A mulher deve aprender em silêncio, com toda a sujeição. Não permito que a mulher ensine, nem que tenha autoridade sobre o homem. Esteja, porém, em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, e depois Eva. E Adão não foi enganado, mas sim a mulher que, tendo sido enganada, tornou-se transgressora. Entretanto, a mulher será salva dando a luz filhos – se elas permanecerem na fé, no amor e na santidade com bom senso”.
Paulo fala aqui em um contexto sobre a Igreja reunida (vv. 8, 9). Em tal cenário, ele afirma: E não permito que a mulher ensine nem exerça autoridade sobre o homem (v.12), pois estas eram as funções dos presbíteros, (Gr. Episkopos) e Paulo aqui não permite mulher usurpar a autoridade dos presbíteros. E qual o motivo dessa proibição? (vv. 13, 14). Deus deu a liderança para o homem criando-o primeiro, é isso que Paulo inspirado pelo Espírito tem em mente, olha o que o texto diz: “porque, primeiro foi formado Adão depois Eva”. E continuando a exposição paulina ele prossegue “e Adão não foi iludido, mas a mulher sendo enganada caiu em transgressão”. E Paulo aqui traz a 2ª objeção que quando a mulher tomou a frente da liderança masculina houve uma inversão de papeis que por fim gerou a queda. (Gn cap. 3). Alguns querem dizer que Paulo não permitiu a mulher ser presbítera devido à falta de
blogger disse...
educação formal das mulheres naqueles dias, mas Paulo não as proíbe por falta de instrução, mas novamente aponta para a ordem da criação de Deus. (vv. 13, 14). E tem um detalhe que anula de uma vez esta argumentação desses liberais, a educação formal não era exigida da liderança da Igreja do N. T., pois vários apóstolos não tiveram instrução bíblica formal conforme nos apresenta Atos capítulo 4 verso 13. Outro detalhe houve na história da Igreja Primitiva mulheres cultas como Priscila que ajudou até instruir Apolo com o seu marido Áquila (At 18. 26) mas, mesmo assim Paulo não permitia nenhuma mulher ensinar “não permito que a mulher ensine”. Na Igreja de Deus, por quê? Motivo de sempre versículos 13 e 14 a ordem da criação.
II- Passaremos a expor o segundo texto 1 Cor 10. 33b-36.
“Como em todas as igrejas dos santos, conservem-se as mulheres caladas nas igrejas por que não lhe é permitido falar… porque para a mulher é vergonhoso falar na Igreja…”. As mulheres não podiam “falar” em “todas as igrejas dos santos” “falar” na igreja, ou seja, “ensinar” é atribuição de homem e de homem preparado – presbíteros. Paulo fala é vergonhoso para a mulher falar (como presbítero) na igreja confirmando o que Paulo disse na exposição anterior que citamos “não permito que a mulher ensine”. (será que hoje não é mais vergonhoso?), ou seja Paulo aqui está preocupado em preservar a liderança masculina no ensino e governo da Igreja.
III- Vamos agora estudar os textos que falam sobre os presbíteros e suas qualificações. (1 Tm 3. 17 e Tt 1. 5-9).
Os textos pressupõem de maneira clara e incontestável que os presbíteros são homens “é preciso que o presbítero seja irrepreensível esposo de uma só mulher… 1 Tm cap. 3 e 2 e também Tt 1. 6 diz: homem irrepreensível esposo de uma só mulher”. E só recebia ordens episcopais homens fieis que sejam idôneos para ensinar a outros (2 Tm 2. 2), ou seja, amigo o ensino é para homens, pregar em reunião pública é para homens, presbítero é função de homem. E nós sabemos que o presbítero tinha a função de ser pastor (Gr. Poimën) e só a esses presbíteros homens que Paulo manda pastorear (Gr. Poimainö) a Igreja de Deus (At 20. 28). Não há menção de presbíteras no N. T. sendo assim, como poderemos fazer algo que as escrituras não nos orientam a fazer? Ou seja, estas mulheres ordenadas são reconhecidas como pastoras apenas por vocês, mas não existe para Deus e nem para as igrejas verdadeiras do Senhor Jesus Cristo.
IV- Exposição em Efésios 4. 11 e 1 Cor 11. 28.
No Contexto de Efésios capítulo 4 mostra que Cristo depois da ressurreição subiu aos céus e deu dons aos homens relativos a Sua Igreja “E Ele (Cristo) designou alguns para apóstolo outros para profetas, outros para Evangelistas e outros para pastores e Mestres”. Note-se que todos estes dons estão no
blogger disse...
masculino, inclusive pastor (Gr. Poimën). Então podemos concluir que jamais Cristo deu alguns desses dons mencionados a mulheres, por tanto ninguém deve ousar dizer que Cristo deu algum dom relativo ao ensino e a liderança para mulheres e 1 Co 11. 28 confirma Efésios capítulo 4 verso 11.
V- Desejamos prosseguir a nossa argumentação expondo a proeminência da liderança masculina.
a) As mulheres devem estar submissas aos maridos, ou seja, a liderança do casamento também é masculina (Cl 3. 18, 19; Ef 5. 21 – 32; 1 Pe 3. 1) qualquer um que analisar estes textos percebem que a liderança no casamento é masculina.
b) Jesus estabeleceu um modelo de liderança masculina, quando Cristo designou 12 homens como apóstolos (levando em consideração que era esse grupo vivo de homens que no princípio da Igreja que tinha a liderança). Não é verdade que as mulheres têm igual acesso a todos os ofícios na Igreja, pois Jesus, o Cabeça da Igreja é HOMEM. E os 12 apóstolos que se assentarão para julgar as 12 tribos de Israel são Homens. (Trono equivale liderança, julgar é o ofício de quem está no trono e tanto aqueles que se sentam no trono, e julga do trono são homens inclusive o próprio Cristo, que veio como homem para reinar, não há menção de mulher em trono nenhum na Bíblia, pois Deus não as chamou para liderar) (Vide: Mt 19. 28). Aprendemos com tudo isso que, nem agora e nem muito menos na Eternidade de Deus a ordem da criação vai mudar, não haverá padronização de papeis iguais para homens e mulheres em todos os níveis e autoridades da Igreja.
c) Cristo acima da cultura. Alguns argumentam que a cultura daquela época não permitia que Jesus escolhesse seis homens e seis mulheres, por isso Ele não escolheu mulheres no grupo dos doze. Esta linha de pensamento é produto da mente de feministas atrapalhando a Igreja de Deus. Jesus não estava subordinado a nenhum pressuposto cultural e agora passaremos a provar essa afirmação. Jesus criticou os fariseus, saduceus, herodianos, helenistas e todo o grupo que dominava a moral e ditava a cultura naqueles dias Ele curava e colhia espigas no Sábado entrou no Templo dos sacerdotes e expulsou os que vendiam, falava, comia, dormia em casa de samaritanos, falava com mulheres samaritanas, impediu uma pecadora de ser apedrejada, permitiu seus pés serem limpos por uma pecadora, comia com publicanos e pecadores. Vemos claramente que Jesus não estava preso a cultura dos seus dias, podemos dizer que Ele não era um judeu exemplar, pois veio ao mundo para transformá-lo com a Revelação do Evangelho (Rm 1. 16; 12. 1-3), então não venha nos dizer que Cristo não ordenou mulher como “apóstola” entre os 12 por causa da cultura, pois isso não condiz ao carácter de Jesus mas Ele não ordenou mulher como “apóstola” porque Ele entendia que a ordem da criação é o Homem liderar.
blogger disse...
d) A mulher no A. T.
Alguns citam Débora e Hulda como profetiza para dizer que o “ministério pastoral feminino” é bíblico, mas isto não condiz nem com os fatos históricos pois, na época que elas profetizaram não fizeram de forma pública e sim de maneira privada em suas casas, levando em consideração que no A.T. o dever de ensinar era dos sacerdotes da Tribo de Levi e o sacerdote era unicamente masculino e não havia sacerdotisas na religião Judaica, pois isto era prática pagã onde as sacerdotisas serviam como prostitutas cultuais. Deus nunca chamou uma mulher para ser rainha, mas chamou Davi, e a única mulher rainha que houve em Israel Atalia que usurpou uma função que não era sua, mas Deus logo a destronou.
Conclusão
Alguns argumentam que Deus algumas vezes falou por mulheres, mas isto não é o modelo normativo das Escrituras, levando em consideração que Deus um dia falou na boca de um jumento, mas jumento não continua falando, pois isso não é normativo e nós não podemos pegar fatos isolados extraordinários e aplicar como se fossem normativos.
VI- Atos 15, o real sentido.
Aquela reunião não apóia a ordenação de mulheres, pois o assunto ali era: os cristão-gentios devem viver como judeus? E a conclusão da mesma que consistia de PRESBÍTEROS E APÓSTOLOS, foi que do princípio judaico da Torah, os gentios deveriam guardar somente as partes essências dela (At15. 1-5, 28,29) devendo a circusição na ser imposta a os cristão de origem gentílicas. A epistola aos gálatas foi endereçada para combater a doutrina destes judeus que queria submeter aos cristãos a lei judaica, inclusive o próprio Pedro nesta epistola de Paulo, estava sendo hipócrita nesta questão pois como os gentios vivia como gentio,mas quando chegava o grupo da circusição ele se afastava dos gentios e Paulo o repreendeu abertamente e Tito foi enviado a ilha de Creta para combater este grupo.Ciente disso atos cap. 15 não pode servi de base para a ordenação de mulheres .(Não adianta forçar o texto pastor.)
VII- O apostolado de Paulo, uma defesa.
Segundo as suas palavras “Paulo foi apóstolo da cabeça dele, ou foi apostolo sem ordenação.” Nos instantes finais desta argumentação, nos defenderemos a autoridade do apostolo Paulo, não apenas com base nos escritos dele, mas, para quem intimidade com a bíblia, não é difícil encontrar referências que condene tal afirmação. O apostolo Paulo quando escreveu 1 coríntios 15.9 dizendo que ,não era digno de ser chamado apostolo,estava ratificando a verdade revelada em 2 coríntios 10.12 que diz : “não temos a pretensão de nos
blogger disse...
igualar ou de nos comparar,com alguns que se recomendam a si mesmos.Quando eles se medem e se comparar consigo mesmos,agem se sem entendimento.”O próprio Cristo também confirma esta verdade de que o homem não pode testemunhar de si mesmo (João 5.31-36).E verdade que no inicio,mas bem nos primórdios ,a igreja não acreditou em Paulo,porém isso até Barnabé o apoiar ,As escrituras nos contam que quando Paulo saiu da cidade de Dasmaco para Jerusalém>tentou reunir aos discípulos,mas todos estavam com medo dele,não acreditando que havia sido salvo,então Barnabé deu lhe um voto de confiança e o relatou a sua conversão na estrada de Dasmaco e de seus frutos como cristão.Assim Paulo ficou com os apóstolos e andava com Liberdade em Jerusalém,pregando a palavra do Senhor com coragem(Atos9.26-28).Vossa reverendíssima,disse que Paulo “não foi ordenado,nem a o menos de forma semelhante a o último dos eleitos,Matias.”mais uma vez temos que discordar da sua dissertação,pois o relato da ordenação do apostolo Paulo se encontra em Gálatas 2.vss 6-21 “Quantos aos que parecia influentes - o que eram então ,não faz diferença para mim;Deus não julga pela aparência - tais homens influentes ,não me acrescentaram nada.Ao contrário,reconheceram que a mim havia sido confiada a pregação do evangelho aos incircuncisos(gentios);assim como a Pedro os circuncisos,também operou por meu intermédio para com os gentios.Reconhecendo a graça que me fora concedida,TIAGO,Pedro e João,tidos como colunas,estenderam a mão direita a mim e a Barnabé em sinal de comunhão.Eles concordaram nos dirigir aos gentios, e eles aos circuncisos.”Neste texto está mais do que claro ,que assim como eles impuseram as mãos em Matias,também o fizeram com Paulo.São Paulo mesmo defende seu apostolado(Atos9.17,27;14.4 ;26.16-17,Rm1.1; 15,14-19,1 cor 9.1-2; caps. 11-13; 14.37-38; gl1. 1,1 tm1.12....)e ele tem os requisitos básicos para ser apostolo que eram:
a)Ter visto Jesus após a ressurreição.
b)ter sido especificamente comissionado por Cristo.
Paulo de maneira extraordinária cumpriu se os requisitos, mesmo que de uma forma incomum. (Atos 9.5-6,26.15-18.)
“Se alguém pensa que é profeta e espiritual, reconheça que o que estou lhe escrevendo é mandamento do Senhor. Se ignorar isso, ele mesmo será ignorado.” (1cor14. 37-38).
São Paulo (Sec, 1 E. C.).
VIII- Pressupostos liberais.
blogger disse...
O senhor disse “Para seu governo, praticamente todas as igrejas neo-pentecostais ordenam mulheres e nenhuma ordena Gays.”
Você disse certo elas são igrejas neo pentecostais ou seja elas não são igrejas verdadeiras e ordenar mulheres e apenas mais uns dos pecados delas,uma igreja verdadeira tem :
1)pregação pura da palavra.
2)administração corretas dos sacramentos,
3) Disciplina eclesiástica.
Ou seja, igrejas neo-pentecostais não são nossos referenciais ,pois não está enquadradas em igrejas verdadeiras.Quando falei,de igrejas que aceitaram mulheres como pastoras,estava me referindo a igrejas históricas como a Church Of England(20%),Igreja Luterana, e os presbiterianos(PUC-USA), estas igrejas um dia foram igrejas referenciais para o cristianismo bíblico e milhares de pessoas foram abençoados por elas,mais desde que deixaram a Autoridade das Sagradas Escrituras ordenando mulheres,abriram uma brecha para tudo aquilo que é anti-biblíco, e inclusive para o movimento L.G.B.T.(lesbicas,gays,bissexuais e transsexuais). A argumentação dos movimentos feministas e Lgbt dentro da igreja são assim:
“A bíblia não deve ter autoridade sobre tudo, pois ela não está em tudo certa (idéias de Reimarus, Bulltmann e Karl Barth), pois ela foi afetada por uma cultura machista, patriarcal, homofobica (contribuições das feministas e dos homossexuais) e nós como cristãos modernos, não podemos aceitar estes preconceitos, e devemos como pessoas de mente abertas, incluir as diferenças, e aceitar as minorias, inclusive devemos apoiar a causa homofobica, pois Jesus é amor, e aceitar ,todos e ama todos da maneira que eles são,então porque devemos ser preconceituosos e não permitir que nossos irmãos homossexuais e as mulheres que há tanto tempo são discriminadas por esta sociedade fundamentalista e de mente fechada,machista exerça o pastorado?”
Este e o discurso da moda, da cultura, que a cada dia deixa as Escrituras e se perdem para toda eternidade ate que venha prestar contas das suas obras a Deus como disse um antigo pregador chamado Leonard Ravenhil: “Existe milhões de caminhos para o inferno e apenas um para o céu”. E uns dos caminhos que levam ao Inferno e deixar a autoridade das Escrituras.Nos sabemos que nada do que dissemos aqui,vai mudar o que aconteceu,até porque os senhores são a elite,o que decidirem está decidido,porém,os senhores fazem consciente de que estão passando por cima de uma ordem Bíblica. E assim encerramos nossa argumentação,eu e o diácono Maique e
blogger disse...
dois amigos meus estamos dispostos se assim o pastor quiser a discuti pessoalmente esta questão,da mesma maneira que escrevemos assim falamos. A paz do Senhor.
Mostre-se-nos algo claramente estabelecido
nas Escrituras Sagradas que ainda não ensinamos
– e o ensinaremos.
Mostre-se-nos algo de nossa doutrina e prática
que seja evidentemente contrário às Sagradas Letras
– e o abandonaremos.(Livro de Orações comum,IEAB)
blogger disse...
Tenho aqui também um comentário sobre isso do Pastor João Gilberto:A Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, esclarece as dúvidas de muitos irmãos acerca do seu posicionamento contrário a ordenação de mulheres ao ministério pastoral, através de um parecer do consultor teológico da CPAD, pastor Antônio Gilberto que mostra biblicamente que não há subsídios bíblicos para a ordenação de pastoras.

Não, não é correto. É uma resolução e provimento de certas igrejas locais e mesmo denominações, e isso sem estrito suporte das Escrituras Sagradas, como ocorre com outros fatos de somenos alcance.

Jesus, no seu ministério terreno, teve auxiliares mulheres. Eram santas mulheres, que o serviram e aos seus apóstolos, de várias maneiras, até à cruz, mas Ele nunca as nomeou para o santo ministério, como este termo é hoje entendido entre nós. Ora, Jesus sempre sabia o que fazia e o que deveria ou não ser feito.

O apóstolo Paulo, constituído por Deus, pregador, apóstolo e mestre, o maior expoente como obreiro do Senhor, nunca separou, nem ordenou, nem mencionou diaconisas, pastoras, episcopisas (bispas), apóstolas, etc, apesar de carinhosamente destacar obreiras do Evangelho, cujos nomes estão eternizados nas páginas da Bíblia, por causa do dedicado e amoroso desempenho delas no serviço do Senhor.

Casos como o de 1 Timóteo 3.11, basta um exame acurado, demorado, erudito, imparcial e sem idéias preconcebidas do contexto, para se ver que não se trata de diaconisas. No caso tão citado de Febe (Romanos 16.1), a expressão “a qual serve a igreja” (literalmente “a qual exerce o diaconato”), sua construção frasal no texto original está no masculino. É que talvez não havia ali em Cencréia diáconos, por estar a obra no seu início, ou porque não havia diáconos suficientes, e então Febe deve ter desempenhado essas funções em caráter especial e provisório.

Ora, a obra de Deus não deve sofrer devido a limitações humanas como deve ter sido o caso da congregação de Cencréia (que na época era o porto oriental da cidade de Corinto).

Casos como o de Débora e Hulda (no Antigo Testamento) devem ser estudados nos seus respectivos contextos. Textos como Números 8.11, igualmente. No Novo Testamento, casos como o de Ana, as filhas de Filipe, as mulheres cooperadoras de Romanos 16, seguidas de Evódia e Síntique (em Filipenses), devem ser considerados em seus respectivos contextos diversos. Uma reflexão diante de Deus, partindo dos textos como 1 Coríntios 3.10-11 é fundamental aqui para o norteamento do consulente.

Ainda sobre a irmã Febe: em situações como a daquela igreja, Deus suscita a quem Ele quiser, mas isso não significa uma regra bíblica; é exceção. Isso revela a soberania de Deus, mas saiba-se que não é uma regra geral da parte do Senhor.
Pastor Carlos alberto - Clamor Universal disse...
Acredito que a presidenta Dilma Russef tem um pouco de parcela nesta questão. Pois as mulheres ganharam mais destaque e autoridade no Brasil, após sua eleição. É muito normal que as mulheres exerçam cargos diversos na sociedade, haja vista que elas são habilidosas e capacitadas, entretanto, quando se trata de funções eclesiásticas, biblicamente existem limites nas funções. Como muitas igrejas copiam a cultura deste mundo, para as tais igrejas e Convenções é muito normal consagrar mulheres ao ministério pastoral, contrariando os princípios bíblicos passando por cima de estatuto e da opinião da maioria. São tantas coisas ínfimas não permitidas nas igrejas, como: Diácono não dar benção apostólica, não batizar em águas, não tomar assento no púlpito de algumas igrejas, igualmente, presbítero não celebrar casamento, não entrar em reunião das AGOs, não ser consagrado à evangelista com menos de quatro anos de presbítero, no caso (CEADEB) enfim, a um cooperador é quase impossível ser consagrado a pastor por causa da escada ministerial: Tem que ser cooperador, diácono, presbítero, evangelista e pastor. RSRSRSRS. Como hoje estamos em fase de mudanças, mulheres seguem direto ao pastorado, estão com mais moral e crédito do que os homens, que vergonha!
Agora será permitido as “pastoras” fazerem casamento, batizar em águas, celebrar santa ceia ser candidata a presidenta de Convenção, ou a algum cargo da diretoria, consagrar diáconos, diaconisas e presbíteros, presbíteras; tomar assento na cadeira central do púlpito e dar ordens aos obreiros auxiliares. Coisas piores virão, acreditem!
Pastor Carlos Alberto disse...
Será que em Cem Anos que a Assembléia de Deus existe, não descobriram na bíblia que uma mulher poderia ser consagrada a pastora? São tantos pastores exegetas, hermeneutas, PHds, doutores em Divindade, que ensinam tantos assuntos obscuros inimagináveis, esplendorosos e etc. E eles nunca, pelo menos, desconfiaram que consagração deste tipo fosse bíblica? Será que é uma nova interpretação bíblica revelada por algum anjo, por algum espírito, ou editaram uma “nova bíblia” que traz assunto espetacular! Ou será que esses milhares de presbíteros atuantes nos púlpitos das Assembleias de Deus não são dignos de serem consagrados a pastores? Está faltando homens neste negócio? Ou Deus não mais dirige esta Instituição? Isso pra mim e levar a arca de Deus em carro novo. Quando devia ser levada nos ombros dos Sacerdotes. Invencionices e inovações são epidemias do século XXI. Não sou machista, sou conservador dos princípios bíblicos.
Sivaldo Bacelar disse...
Quando eu vejo estas noticias estas inovações,invenções,eu fico a pensar será que estão lendo a Biblia de cabeça para baixo pois em todos os textos mencionados na Biblia que fala consernete a ministerio eu não vejo ordenando mulheres 1Cr.6.30-32 Eram os sacerdotes que ministravam(Sl 104.4,Nm 3. 1-3)Porque Deus não levantou sacerdotizas ?Porque Jesus não separou discipulas?separou 12 discipulos! .At.6.1-7 a instituição dos Diaconos ou foi (diaconizas),1 Pe 5.1 o aposto se ferefe aos presbiteros ou foi a (presbitera),1Tm 5.17 o Apostolo fala aos Presbiteros.A mulher sempre teve e tem o seu espaço na obra de Deus,o que não podemos e nos deixar ser levado pelos movimentos feministas que tem cousado tantos problemas em muitas familias,insitanto a muitas mulheres a serem rebeldes,insubimisas.Pois as conhecem a palavra de Deus sabe o seu papel na familia e na obra de Deus.Estamos a 100 anos no Brasil crescemos no cuidado com a doutrina e os usos e custumes.Nos tornamos a Igreja respitada que somos a maior Igreja Pentencostal do Brasil.Hoje estão abrindo mão de muita coisa,hoje vemos em muitas Assembleias de Deus as mulheres de joias,calça,toda maquiada,homens andando de chorte,camiseta.Quando penso que já não faltava mais nada agora se consagra pastoras.quero ver se a CGADB vai aceitar um negocio desse,ela já aceita tanta coisa,os Pastores brigam entre se,não cumpre aquilo que ele mesmo aprovaram e fundam convenções como aconteceu aqui na Bahia recentemente e ela reconheceu um absurdo,deveria criar uma comitiva para avaliar o porque ocorreu o problema e tentar contornar a situação.Deus esta a procura de homens que não se curvam e não se vendem,e que não buscam seus propios intereces.Que prevaleça a inerrante,imutavel palavra de Deus
Pr João Correia disse...
É um absurdo, em pleno século 21 o homem não reconheçer a soberania der Deus e agir de maneira a anular o proposto por Deus em suas ordenanças sedidas a homens de Deus criteriosos e com carater suficiente para refutar estes ventos de doutrinas inovadoras; tenha paciencia, onde vamos parar, mulheres pastoreando as nossas igrejas; indo contra o que Paulo ensina nas suas orientações em cartas enviadas as igreja.
Gabi-Net Pastoral disse...
Prezados Maique Borges e Samuel Magalhães,
A Paz do Senhor.
Antes de mais nada eu não sou mestre. Sou semelhante a vocês. Confesso que não gosto de debates, mas, como democrata, eu sinto que devo conversar mesmo com vocês. Continuo pastor da Igreja Assembléia de Deus no Plano Piloto. Como sou conferencista, nem sempre estou lá. Também não sou louco de deixar no blog meu e-mail ou telefone. Como normalmente frequento o Culto de Santa Ceia, que é pela manha no primeiro domingo, isto pode ser uma possibilidade.
Fiquem na paz.
Wilson
Gabi-Net Pastoral disse...
Prezados Maique Borges e Samuel Magalhães,
Quando eu digo que vocês usam autoridade que não têm é porque fazem acusações assim:
"Nos sabemos que nada do que dissemos aqui,vai mudar o que aconteceu,até porque os senhores são a elite,o que decidirem está decidido,porém,os senhores fazem consciente de que estão passando por cima de uma ordem Bíblica. E assim encerramos nossa argumentação,eu e o diácono Maique e dois amigos meus estamos dispostos se assim o pastor quiser a discuti pessoalmente esta questão,da mesma maneira que escrevemos assim falamos. A paz do Senhor.
Mostre-se-nos algo claramente estabelecido
nas Escrituras Sagradas que ainda não ensinamos
– e o ensinaremos.
Mostre-se-nos algo de nossa doutrina e prática
que seja evidentemente contrário às Sagradas Letras
– e o abandonaremos.
É hipocrisia você dizer que gostaria de "ajudar" quem se desviou depois mudar o tom e dizer ironicamente que não "Nos sabemos que nada do que dissemos aqui,vai mudar o que aconteceu,até porque os senhores são a elite,o que decidirem está decidido". Eu recomendo mais cuidado com a soberba porque nós apenas ordenamos as mulheres. Não saímos por aí catequizando e querendo forçar ninguém a nos seguir.
Se vocês são realmente sinceros, eu até mudo a proposta que fiz e gostaria que vocês se adequassem (dessa vez com humildade) ao seguinte:
1. Respondendo à seguinte questão: "Mostre-se-nos algo de nossa doutrina e prática que seja evidentemente contrário às Sagradas Letras – e o abandonaremos",
A Ceia do Senhor que Jesus deixou foi servida só a homens. Isto, nos quatro evangelhos. Quando ela é retomada a partir de 1 Co 11.17, o ensino está todo no masculino. SEGUNDO VOCÊS, se estiver no masculino (bispo e não bispa, apóstolo e não apóstola, marido e não esposa) está excluindo mulheres e referindo-se só a homens. Conclusão: vocês são hereges por servirem ceia a mulheres. Como a adpatação é humana e não bíblica, servir ceia a mulheres é INVENCIONICE. Estou usando o termo que vocês gostam de usar.
Estou disposto a conversar com vocês no dia em que vocês cobrarem para a Ceia o mesmo rigor que cobram para ordenação.
Gabi-Net Pastoral disse...
A discussão deixa de ser teológica e passa a ser partidária. Existem coisas na Bíblia que vale a pena alguém ficar atrás do outro, dizendo que é zelo pela Palavra. Se fosse mesmo verdade, a gente batizava do jeito que está na Bíblia. Se ali vale flexibilizar segundo a conveniência da Igreja, é farisaísmo escolher um ponto para ser "caxias".
Ademais, é a maior bobagem do mundo, é questão de Português e não de teologia essa história de se estiver no masculino não se refere a mulheres. Deixem de ser hipócritas! Se formos aplicar essa regra só cinco por cento da Bíblia se aplica a mulheres. É a mesma coisa de dizer que "Verás que um filho teu não foge a luta" não estar se referindo a mulheres.
Eu não gosto de discutir essas coisas porque essas jogadinhas acabam tomando o tempo da gente, sendo que, no início da discussão até dava a impressão de que o interlocutor era sério.
blogger disse...
Bem Reverendo Wilson,apresentamos bases biblicas contra a ordenação de mulheres,está mais claro que não é biblico,assim como vemos a luz do Sol.Percebo que o senhor pode ser um bom professor de português mais dúvido muito que o senhor conheca as regras basicas de hermeneutica e muito menos saiba fazer uma exegese de um texto, e dar se a entender que o senhor também não saiba nada do koiné.Relativo a questão do sagrado sacramento da ceia ,vejo que a grande confusão no seu pensamento,leia a epistola inteira e lhe indico a ler na Biblia de Jerusalém ou pelo na New Version international,pegue alguma revista de escola domical da cpad e estude sobre a ceia e o batismo e não saia por ai fazendo confusão. "Batizamos por imersão,não crermos em ex opere operato,somos memorialista e não crermos em consubstanciação,transubstanciação, e muito menos somos pedobatista e todo aquele que pertece a Eklessia de Cristo ,com a idade propria,com os frutos dignos de arrependimento,pode e deve participar dos sacramentos."
blogger disse...
Bem ser o interlocutor que voce diz não e sério percebo que quem está equivocado e vossa reverendissima.Tenho aqui amigo ,junto com meus coloboradores apresentado bases biblicas contra este ato odioso e anti-biblico de ordenar mulheres e tenho feito com toda seriedade e amor.Não sou criança para ficar com brincadeira,a questão aqui e muito seria e questão de vida ou morte.Pelo contrario acho que é o Sr, que não tem levado isso aqui a sério,apresentyamos bases biblicas fortes contra a ordenação,mais percebo que o sr,está tão preso aos seus presupostos que pelo que percebi não examinou com o devido respeito nada do que lhe mandamos.Pelo contrario percemos que o sr,esta usando argumentações axiomaticas e sisplemte pondo esta discursão a perder,sinceramnete esperavamos mais seriedade do senhor nesta questão.

att Samuel magalhães.
blogger disse...
I CORINTIOS 11.7
Se voce analisar a divisão do texto do ver 1-19 Paulo está tratando de outro assunto que não e a ceia. E so a partir do ver versiculo 20 ate o final do capitulo que ele trata da ceia do Senhor e do problema do egoismo que predominava naquela igreja.Então eu me admiro como o Senhorpega o versiculo 7 que esta falando de outra questão e aplica a ceia do Senhor?para mim isto é muito estranho e um erro grosseiro de hermeneutica que é saber onde termina um assunto e começa outro.
cleovano disse...
A paz do Sr. Jesus.
A questão é: quais eram os argumentos dos "homens de Deus" para não aceitar mulheres no ministério?
Falam demais? Não tem equilíbrio emocional? Qual?
Respaldo bíblico nunca teve. Era apenas uma questão de costume, que muda com o tempo. Os tempos são outros. Que venham as mulheres. Prefiro ser pastoreado por uma mulher sensível e humana do que por um pastor autoritário e prepotente.
cleovano disse...
Agora me digam: Que mal causaria á igreja uma mulher Pastora. Quais as consequências negativas? Que pecado uma mulher pastora cometeria que um pastor ainda não tenha cometido?
Pr. João Batista França disse...
SOU FILIADO A CGADB. QUERO EXTERNAR MINHA OPINIÃO, NO CASO DA NOBRE CEADDIF. 1º DEVERIA SER APRESENTADO A CGADB E APRECIADO EM ASSEMBLEIA GERAL, 2º NÃO HÁ ART. OU CLAUSULA QUE APOIE O MINISTÉRIO PASTORAL FEMININO, 3º NA LEI NÃO TINHA SACERDOTA, E SIM SACERDOTE. ESTATUTO CGADB. AFT. 4 PARÁGRAFO ÚNICO, LETRA "E" AS CONVENÇÕES ESTADUAIS OU REGIONAIS, PODEM APRESENTAR CANDIDATOS A PASTORES E EVANGELISTAS, NÃO DIZ(PASTORA) ISSO É ANTIBÍBLICO, ESSA ATITUDE É NO MINIMO ÂMBIGUA; A MAGNA CGADB NÃO PODE SE CURVAR A UM CAPRICHO DE INTERESSES. JOÃO BATISTA. PI.

Postar um comentário

Fonte : Blog do Samuel Júnior


_________________________________________

Pastor EDUARDO SILVA 

 
Twitter Pastor Eduardo Silva : https://twitter.com/Eduardo50049024


3 comentários:

WILSON BARBOZA DA SILVA disse...

Não estou postando no blog do Pastor Samuel porque não fui bem sucedido na última tentativa. Possivelmente o administrador censurou algo. Seja como for, é importante perceber que alguns pontos são questões de fundo, outros não. Por exemplo, quando alguém diz que uma citação não inclui mulheres porque está escrito "pastores" e não "pastoras" é ignorância em termos de Português. Nada tem a ver com exegese bíblica. Um falante médio da Língua Portuguesa sabe que fazer distinção de gênero na redação é desnecessário. Assim sendo, quando eu cito o Sindicato dos Professores, eu não posso estar excluindo as mulheres só porque não disse Sindicato dos Professores e Professoras. É impossível ir mais em frente com a discussão com alguém que não consegue entender nem este mínimo.

WILSON BARBOZA DA SILVA disse...


No tocante à ordenação de mulheres, percebe-se que estão tentando uma argumentação que nem chega a ser lógica. O que não é proibido é permitido. Sejamos inteligentes. Se nós só pudéssemos fazer o que a Bíblia manda, do jeito exato que a Bíblia manda, de que tamanho seria a Bíblia? Não vamos ordenar mulheres porque não há respaldo bíblico. Já pensou se eu precisasse de respaldo bíblico para usar a internet? Na verdade, sendo a Bíblia um manual da liberdade - e para liberdade que fomos chamados - eu não posso fazer o que a Bíblia proíbe. Isto está claro, mas esperar Jesus fazer para eu fazer é algo tolo. A equipe de Jesus contava com Maria Madalena e outras mulheres. Elas resolveram seguir Jesus por gratidão e, é claro, porque não era proibido. Não é porque elas foram ordenadas "companheiras de viagem de Jesus". Nós criamos a ordenação a pastores, que não existe na Bíblia e agora queremos respaldo bíblico para mulheres. Se o problema é respaldo, mulher não pode E HOMEM NÃO PODE.

Anônimo disse...

A paz do Senhor!!!!!! Sem muito comentários,me deixa triste, como Assembleiano, ler tamanha heresia, ainda bem que essa moda não chegou ainda no sul do Brasil,por favor mudem a placa da denominação de vocês e se desliguem da CGADB,a poderam fazer o que quiserem.Mas deixe as Assembleias de DEUS ainda ser uma denominação que ainda tem como único instrumento vivo a BÍBLIA.